• A gente não escolhe o amor, ele acontece. Uns vivem intensamente. Outros, por ironia do destino, vão embora.

  • O Amor simplesmente acontece você não escolhe a quem amar, deve ser por isso que existe essa história de cúpido pra justificar o erro de amar quem não merece.

  • Dizer para alguém não se apaixonar é burrice, pois você não escolhe amar, é o amor quem te escolhe.

  • Nem tudo acontece como a gente quer quando o assunto é amor. A gente não escolhe quem amar e às vezes a gente entrega o nosso coração a quem não merece!

  • É que a gente não escolhe quem amar, porque se escolhesse, eu escolheria as mesmas pessoas todos os dias! É que às vezes a gente gosta mesmo sem estar perto, mesmo sem estar junto, porque o amor não escolhe pele nem aparência, escolhe alma.

  • Dizer que ama e fácil, difícil mesmo é demonstrar. Por que palavras o vento leva, olhares mudam de direção, mas uma simples atitude faz-se necessário quando o sentimento mora no coração!

15 de junho de 2019

O FINAL DE SEMANA DA ELEIÇÃO

 Isso aconteceu nesse feriado de eleição, como a maioria dos brasileiros e eu não estava com nenhum tesão em votar para ninguém, mas também, não tinha programado nada nesse final de semana. Até de que na sexta feira a Joyce (minha nova vizinha) me ligou dizendo que seus pais iriam viajar ela iria para o sítio da sua família que fica em uma cidade há 100 km da nossa e que iria sozinha, então perguntou se eu gostaria de ir com ela, rapidamente eu disse que sim, pois eu havia acabado de pensar em viajar, já que não queria votar. Então ficou decidido que iríamos para o sítio no sábado de manhã. Como a Joyce tinha acabado de comprar um carro novo, ela queria estrear ele nessa viagem. Então, no sábado de manhãzinha, acordei, tomei um delicioso banho, me vesti, arrumei minha bolsa, tomei meu café da manhã e fiquei aguardando-a chegar para irmos ao sítio. Não passou muito tempo eu a ouvi tocar a buzina em frente ao meu portão, então sai correndo, entrei no seu carro e seguimos nossa viagem que demoraria mais ou menos uma hora, no caminho ouvimos músicas, conversamos e demos muitas risadas a viajem inteira, antes de chegarmos paramos num supermercado no centro da cidade para comprar algumas coisas para o fim de semana e seguimos viajem, chegando no sítio a Joyce foi até a casa do vizinho pegar a chave da casa do sítio. O sítio é cercado por uma floresta linda, e a casa é cercada de muro e um pouco afastada da estrada então teríamos bastante privacidade. Pegamos a chave e abrimos a casa, a Joyce ligou o som, pegou umas latinhas de cerveja e fizemos uma limpeza geral, pois parecia que há muito tempo que ninguém ia lá, assim que terminamos, cada uma de nós já havíamos tomado três latinhas, então jogamos as vassouras de lado e começamos a pular, dançar no meio da sala. Quando acabou a música fomos descarregar o restante das coisas do carro para podermos começar a fazer o almoço, pois já era quase meio dia. Depois que almoçamos a Joyce disse que me levaria para conhecer as belezas do sítio, então eu vesti um shortinho curto e um top, e a Joyce um vestido também curto e soltinho, logo saímos caminhando pela mata, até que chegamos em um lago com uma cachoeira não muito alta, mas com água cristalina e pedras onde dava para deitar, fomos até lá de mãos dadas, pulando e dando risadas. Eu fiquei admirada com a beleza daquele lugar disse que não iria embora sem antes tomar um banho naquelas águas. Como eu já estava com a calcinha do biquíni por baixo, foi só tirar o short e pular na água, dei um mergulho e quando voltei tive uma surpresa, pois vi a Joyce totalmente nua se preparando para entrar na água, quando ela entrou, veio para o meu lado me dando um beijo delicioso e suas mãos acariciaram minha buceta embaixo d’água, confesso que me arrepiei todinha. Depois de algum tempo nadando e nos acariciando, nós fomos até uma pedra e deitamos e Joyce pegou o óleo que estava em sua bolsa, colocou um pouco em suas mãos e começou a me massagear levemente, depois ela tirou o meu top começando a massagear meus seios e nisso meus biquinhos já estavam rígidos, ela continuou a massagem pelo meu corpo até chegar na minha buceta, que naquele momento já estava encharcada, pois o meu tesão era demais. Bem devagar ela tirou a minha calcinha continuando a massagem nas minhas coxas, ela abriu um pouco minhas pernas, se abaixou começando passar sua língua de leve em volta da minha buceta, ela foi lambendo meu corpo até chegar na minha boca e me deu um longo beijo fazendo que sua língua sugasse forte a minha, eu só gemia de prazer, ela novamente foi descendo até meus seios e os chupou deliciosamente até deixar os dois bem vermelhos, depois desceu até meu umbigo passando sua língua em volta dele, me fazendo contorcer de prazer, aí foi descendo mais um pouco até chegar na minha grutinha novamente, ela foi lambendo minhas coxas, mas eu queria muito mais e peguei em sua cabeça e a forcei contra a minha buceta que já estava piscando de tanta vontade, ela entendendo o recado começou a lamber devagarzinho, então eu agarrei seus cabelos com força dizendo para que ela fosse a minha vadia e me lambesse com toda vontade, pois naquele momento eu me sentia como a sua puta safada e puxei seu rosto contra a minha buceta novamente fazendo que ela quase entrasse dentro de mim. 
Depois de um tempo sendo chupada por aquela mulher deliciosa, eu explodi num gozo delicioso, como já eram quase 15 horas, saímos da água e fomos para casa arrumar alguma coisa pra comer, pois estávamos famintas. Chegamos na casa, colocamos nosso almoço no fogão para esquentar, pois nós havíamos comprado na cidade, abrimos uma cerveja e ficamos conversando, até que o almoço ficou pronto, depois que almoçamos, fomos para o quarto, deitamos nós duas na mesma cama e continuamos a falar de nós, até que dormimos abraçadas, depois de algumas horas acordei e vi que já estava escurecendo, então me levantei, fui até o banheiro tomar banho, só que eu não fechei a porta, de repente, quando olho vi a Joyce em pé tirando suas roupas, logo ela entrou embaixo do chuveiro comigo, começamos a nos esfregar uma na outra e logo rolou um demorado beijo na boca, a partir desse momento o nosso tesão ficou incontrolável gozamos ali mesmo, pegamos a toalha, nos secamos e fomos direto para o quarto, eu coloquei um filme pornô lésbico que havia levado e deitamos nós duas na cama, mal o filme começou e nós duas já estávamos nos masturbando uma na outra, só que de repente o celular da Joyce tocou, ela atendeu e era uma de suas amigas dizendo que precisava muito falar com ela, Joyce então disse que estava no sítio, mas se ela quisesse poderia ir até lá para conversar. Por alguns minutos sua amiga ficou em dúvida, mas por insistência da Joyce ela concordou dizendo que em 30 minutos estaria no sítio, então a Joyce desligou o telefone e voltamos às nossas brincadeiras, quando ela deitou eu abri bem as suas pernas e me deitei em cima dela e ficamos esfregando nossas bucetas uma na outra sem parar de nos beijar, aí desci um pouco minha boca e abocanhei seus seios lindos, ela também fez o mesmo nos meus seios, depois de alguns minutos no esfregando invertemos nossa posição e coloquei minha buceta na sua cara rebolando feito doida, então comecei a chupar a sua deliciosamente, nossa que delicia que estava aquele meia nove, não demorou muito e acabamos gozando as duas uma no rosto da outra. Então fomos tomar um banho rápido, pois a sua amiga estava pra chegar, sentamos na cama e ficamos bebendo cerveja para esperar sua amiga, confesso que fiquei um pouco chateada com a ideia de ter outra pessoa no sítio, pois iria atrapalhar meu fim de semana que parecia ser maravilhoso, Joyce percebendo que eu estava diferente, se aproximou de mim, me dando um beijo e disse para que eu não me preocupasse com a sua amiga, pois ela (Joyce) só insistiu pra que sua amiga fosse pra lá, porque uma vez em suas conversas a sua amiga lhe falou que tinha muita vontade de transar com uma mulher, mas que por elas serem grandes amigas Joyce não fez nada, mas que naquele fim de semana ela teve a ideia de satisfazer a vontade dessa sua amiga, naquele momento eu fiquei aliviada, pois se com uma já estava bom, então com duas seria o máximo do prazer.
         
     Então continuamos a assistir ao filme, em poucos minutos o nosso tesão começou a se ascender novamente, mas nós não podíamos fazer nada até que a sua amiga chegasse e concordasse a se juntar a nós, depois de alguns minutos ela chegou, Joyce me apresentou a ela, dizendo que seu nome é Joana, mas que todos a chamavam de Jô, então fomos para a sala, sentamos no sofá e começamos a tomar umas cerveja e conversar, depois de pouco mais 1 hora, nós três já estávamos bem animadas por causa das cervejas e whisky que bebemos, nós falávamos de tudo, inclusive sobre os nossos fetiches, foi nesse momento que Joyce perguntou para a Jô, se ela ainda estava afim de transar com uma mulher, eu percebi que o rosto da Jõ tinha ruborizado de vergonha, talvez de mim, pois acabávamos de nos conhecermos, então eu disse a ela que ficasse tranquila, pois o que conversássemos não sairia dali, ela então me pereceu se acalmar e voltamos ao nosso papo que foi ficando cada vez mais picante, depois de mais algumas cervejas o clima foi esquentando e o tesão aumentando cada vez mais, eu e a Joyce estávamos vestidas somente de camiseta, sem calcinha, então pedimos para a Jô ficar à vontade e tirasse sua roupa também, sem demora ela nos atendeu ficando somente com a sua camiseta, nós já estávamos bem altas devido as cervejas, nós 3 ficamos conversando por mais alguns minutos, mas eu não conseguia tirar meus olhos daquelas morenas lindíssimas, nós trocávamos olhares maliciosos, até que num certo momento da conversa eu me aproximei de Jô e comecei a beijar aquela boca suculenta, passei a minha língua nos seus lábios, beijei seu queixo, o pescoço, fazendo que ela começasse a gemer, eu dava mordidas na nuca, e ela sussurrava de tesão. Fui tirando sua camiseta devagar e beijei seus seios redondos e duros, aquele clima de tesão era muito grande, foi então que Joyce se aproximou, ficando entre eu e a Jô, ficamos as três nos beijando e nos chupando igual gatas no cio, estávamos com um tesão tão grande que não conseguíamos nos dominar, fazíamos tudo que nosso corpo pedia, então fomos para o quarto, deitamos na cama, então eu e a Joyce abrimos as pernas da Jô, nossa como a sua buceta era linda e apetitosa, bem depilada e apertada, percebi que ela já estava toda molhadinha, pronta para ser chupada e eu não resisti e chupei aquela buceta, chupei todo o seu grelinho que estava sensível e pulsando de tanto tesão, enquanto eu chupava a buceta da Jô, Joyce abocanhava os seus seios com toda força, a Joyce parecia uma gata faminta mamando os seios da Jô, nossa estava uma delícia ver a Jô deitada com as pernas abertas para mim enquanto Joyce chupava seus seios, a Jô gemia alto pedindo para eu continuar chupando a sua buceta, mas eu queria mais, então meti meu dedo no seu cuzinho enquanto chupava aquela buceta com toda a minha força, até que ela deu um grito e gozou gostoso na minha boca, depois de alguns minutos a Jô disse que era a vez de sentir as nossas línguas e nossos dedos, estão Joyce deitou de pernas abertas e a Jô pediu para que quando ela tivesse chupando a buceta da Joyce eu enfiasse meus dedos na sua buceta, mas fiz além do que ela me pediu, pois quando ela se posicionou de quatro para chupar a buceta da Joyce, eu me levantei, fui até a minha bolsa, peguei me strapon que havia levado, o coloquei e voltei para a cama, percebi que a Jô estava distraída e alucinada chupando e enfiando sua língua toda na buceta da Joyce de uma forma tão gostosa, que eu vendo aquilo não resisti com tanto tesão que sentia, pois naquela posição que a Jô estava eu a via chupando e ainda de quatro rebolando para mim, ai eu não perdi tempo, me aproximei devagar e meti aquele cacete de silicone dentro da sua buceta, Jô deu um grito tão gostoso, dizendo para eu meter com mais força e rapidez, pois ela gostava e precisava daquilo, eu enfiava com toda vontade fazendo movimentos de um vai e vem frenético, ficamos assim por alguns longos minutos, eram muitos gemidos e sussurros de prazer, até que nós três demos um grito quase ao mesmo tempo e explodimos num orgasmo delicioso. 
Caímos as três na cama, como se estivéssemos desmaiadas, pois tanto era o nosso cansaço e prazer, depois de alguns minutos, levantamos e fomos as três tomar um banho juntas, depois que saímos do banho, voltamos para a cama e dormimos abraçadas e acordamos por volta de 9 horas da manhã do domingo. Nos levantamos, tomamos nosso café e fomos para a piscina, pois o dia estava com um sol maravilhoso, depois de nadarmos um pouco, saímos da água, nos deitamos ali mesmo sobre as toalhas e ficamos conversando animadas, até que Jô começou a dizer que ela jamais teve uma noite de prazer com o seu marido, igual àquela noite que tivera comigo e a Joyce, então Joyce para pôr mais fogo naquela conversa disse, que tal nos recomeçássemos onde paramos, nós nos olhamos com cara de safadas e demos gargalhadas, então fui até o quarto, peguei o strapon e voltei para onde elas estavam. Joyce foi logo vestindo o strapon e se sentou numa cadeira, então eu e a Jô começamos a chupar aquele pau como se fosse de verdade, nós dividíamos aquela pica de borracha e alternávamos as chupadas, Joyce delirava de tesão vendo duas bocas famintas chupando seu pau, depois de alguns minutos Joyce disse para que ficássemos de quatro, pois ela queria foder nós duas de uma só vez, então nos posicionamos e Joyce começou a nos foder deliciosamente, enquanto eu e a Jô beijávamos e chupávamos os seios uma da outra eu comecei a gemer alto, pois já estava descontrolada, comecei a falar putarias, pedindo para que Joyce fodesse mais em mim e enfiasse aquela rola todinha dentro mim, que arrombasse minha buceta, depois de ouvir isso, Joyce me puxou pelos cabelos e passou a meter forte na minha buceta, e a Jô entrou em baixo de mim, indo com a sua cabeça onde a minha boceta estava sendo fodida pela Joyce e começou a me chupar também e as vezes chupava aquela pica de silicone, eu também não perdi tempo e ataquei com vontade a buceta da Jô, ficamos nos revezando as posições por algum tempo até que caímos exaustas no chão de tantos orgasmos que tivemos. Já descansadas nadamos mais um pouco e fomos preparar o nosso almoço, depois que almoçamos, nos deitamos e dormimos o resto da tarde, depois acordamos, nos arrumamos e voltamos para as nossas realidades, mas prometendo repetir tudo novamente, sempre que sentíssemos vontade.

E foi assim que passei um final de semana maravilhoso com duas mulheres deliciosas.
Compartilhar:

14 de junho de 2019

UMA TRANSA INTERNACIONAL

     

Essa história que vou contar aconteceu há mais ou menos 10 anos atrás. Eu tenho uma família linda e apesar de já ter perdido meu pai muito cedo, somos muito unidas. Meu pai faleceu aos 62 anos e minha mãe ainda viva e forte esta 61. Tenho duas irmãs a Lara com 34 anos e Beth com 30. Somos uma família muito aberta para qualquer assunto e desde muito cedo, falar sobre sexo ou qualquer outro assunto em família é completamente normal e é normal eu e minhas irmãs ficarmos nuas perto uma das outras e as vezes até tomarmos banho juntas. Apesar de sermos liberais, sempre ouve respeito entre nós. Eu nunca escondi de minhas irmãs que eu curtia mulheres e elas me entendiam, nós sempre falávamos e ainda falamos sobre os perigos da sexualidade, damos conselhos as outras. Falamos como é importante usar preservativo e essas coisas, que mesmo que transo só com mulheres também deveria usar. Agora vamos à história que é o mais interessante. Há 10 anos meu pai ganhou uma viagem da empresa que ele trabalhava com destino à Roma na Itália e essa viagem seria para a família toda, como naquele ano meus pais faziam 25 anos de casados aproveitamos aquele presente para comemorarmos e nada seria melhor do que comemorar no pais dos meus antepassados. No dia marcado para a nossa viagem, levantamos bem cedo, arrumamos nossas malas e seguimos para o aeroporto, todos estávamos felizes, pois era a nossa primeira viagem para fora do pais, a viagem não foi rápida e quando chegamos fomos direto ao hotel, pois já era noite e estávamos muito cansados, no dia seguinte levantamos, tomamos o nosso café e fomos dar uma volta pela cidade, era uma bela segunda-feira e dia estava irradiante, Lara e eu andávamos sempre juntas admirando as maravilhas de Roma, meus pais pareciam dois adolescentes enamorados, beijavam-se muito e sempre agarradinhos um ao outro, depois de algum tempo passeando, eu e Lara paramos em uma lanchonete para bebermos alguma coisa e meus pais e Beth foram visitar um museu.
Sentamos, fizemos nosso pedido e começamos a conversar alegremente, de repente entrou uma mulher que me chamou a atenção pela sua beleza estonteante, ela sentou em uma mesma de frente da nossa e na posição que eu estava sentada eu a via perfeitamente, num dado momento olhei para ela e percebi que ela também me olhava, depois de uns 30 minutos daquela paquera e um jogo de sedução. A mulher se levantou e veio em direção da nossa mesa, nos cumprimentou em um português correto, foi aí que percebi que ela também era brasileira, ela se sentou, nos apresentando, dizendo que seu nome era Raquel e que há 2 anos morava na Itália, papo vai até que ela disse que precisaria ir embora, mas se quiséssemos poderíamos encontra-la a noite em uma boate próximo dali e me deu o endereço, se despediu e foi embora, nós tambem saímos e fomos encontrar nossos pais e a Beth, passeamos mais um pouco pelo centro de Roma e voltamos ao hotel. Quando a noite chegou eu disse para Lara que gostaria de conhecer a Boate que a Raquel trabalhava, ela então me olhou com uma cara que conhecia muito bem, deu um sorriso malicioso, concordando num sinal com a cabeça, nossos pais nos chamaram para irmos ao restaurante jantar, e durante o jantar eu disse que iria sair com a Lara e a Beth para conhecermos a noite italiana e para disfarçar convidei meus pais para irem com a gente, mas sabendo que eles não iriam, para minha surpresa Beth tambem disse que não estava a fim de sair, pois ela estava com dor de cabeça. Então logo após o jantar eu e Lara pegamos um taxi e seguimos para a Boate, chegando lá encontramos a Raquel que estava mais linda ainda do que quando nós a conhecemos e quando ela me viu veio correndo ao meu encontro. Trocamos beijos no rosto e ela nos levou até uma mesa que já estava reservada, sentamos e logo veio uma garçonete e nos colocou na mesa uma cerveja e uma garrafa de whisky com os respectivos copos. Iniciamos uma conversa bastante animada, ela nos contou que havia ido para a Itália com um namorado que conheceu no Brasil, mas que em 2 meses ela descobriu que fora enganada, pois o tal namorado só queria se aproveitar dela para traficar drogas e se prostituindo, ela então saiu fora, mas como não tinha dinheiro para voltar, saiu a procura de emprego que por sorte encontrou aquela boate, onde começou de garçonete, mas naquele momento era dançarina de pole dance. Depois de um tempo ela disse que era a hora da sua apresentação, mas que quando terminasse ela voltaria para a nossa mesa, durante a sua apresentação e fiquei admirando como ela era linda, assim que terminou ela voltou para a mesa e disse se nós queríamos continuar a nossa conversa no seu apartamento, olhei para a Lara e ela me disse que se eu quisesse poderia ir, pois ela iria para o hotel, pois estava com dor de cabeça, como o hotel ficava na mesma rua do apartamento de Raquel, ela disse para nós entrarmos em seu carro que deixaria Lara no hotel e assim foi feito. Chegando no seu apartamento, ela disse para me sentar no sofá que ela iria preparar um drink para nós, quando voltou ela colocou uma garrafa de cobre a mesa de centro, me entregou uma taça e colocou um filme de lésbicas para assistirmos, após um tempo ela me falou que seria melhor pararmos de assistir aquele filme, pois ela já estava molhadinha e com vontade de me pegar, eu olhei firme para ela e disse, porque ela ainda não havia me pegado, pois eu já estava me segurando no sofá de tanto tesão, Raquel então se aproximou de minha, já me acariciando e me beijando como eu nunca havia sido beijada, suas caricias e seus beijos, foi me deixando ainda mais excitada, meu corpo pegava fogo de tanto tesão, fechei meus olhos e me entreguei totalmente à aquela mulher deliciosa. 
 Então ela desceu com sua boca macia e começou a beijar e a chupar meus seios, passando a língua nos meus biquinhos que já estavam rígidos, depois como uma gata faminta o abocanhou e sugou com bastante força que me fazia contorcer e vibrar de tesão, ai ela foi descendo beijando minha barriga até chegar nas minhas coxas, eu forçava meu corpo pra cima, querendo que ela me engolisse toda, então com minhas mãos agarrei em seus cabelos forçando sua cabeça para o meio das minhas pernas e ela beijou e lambeu a boceta com muita vontade, fazendo com que a ponta da sua língua pressionava a entrada como se quisesse me deflorar, depois de alguns minutos, ela pediu para que eu ficasse de costas para ela, eu então me deitei de bruços e ela começou a beijar minha nuca, passando sua língua de leve, beijando minhas costas e foi deslizando até a minha bunda beijando-a de um lado para outro, abriu bem as minhas pernas e começou a lamber a minha boceta começando em baixo e indo até porta do meu cusinho e o beijou enfiando sua língua toda dentro dele, nossa aquilo foi o ápice para mim. Senti que um orgasmo louco estava próximo de explodir dentro de mim, fiquei em convulsões e ela ia com sua língua me lambendo, começando na minha boceta até o meu cuzinho, depois que eu gozei horrores, ela me fez deitar com a minha cabeça entre seus seios e falou para dormirmos, pois ela estava cansada que no dia seguinte teríamos mito mais, eu dormi ali mesmo abraçada a ela, pois tambem estava muito cansada.
Logo que amanheceu acordei assustada sentindo uma coisa molhada na minha boca, me despertei e vi Raquel em cima de mim, me beijando deliciosamente. Levantamos, fomos tomar um banho, depois que terminamos ela me deu um beijo enfiando a língua na minha boca e ficou chupando a minha língua, aquilo e enlouquecia, então desci com a minha boca e abocanhei seus e comecei a chupa-los, e os sugando com força, mas ela queria mais e segurando em meus cabelos, forçou a minha cabeça para baixo para que eu beijasse sua barriga, eu desci e comecei a beijar e a lamber, chegando até a sua boceta lisinha e saborosa, até que deitamos e fizemos um 69 maravilhoso até que explodimos num orgasmos intenso. Me levantei tomei outro banho rápido, dei-lhe um beijo demorado e fui embora, indo para o hotel, eu queria chegar lá antes que meus pais acordassem, pois assim eu não precisaria dar explicações, e assim aconteceu a minha primeira transa em solo italiano, aguardem que terá muito mais. 
Se gostarem comentem. 



Compartilhar:

13 de junho de 2019

MINHA NOVA VIZINHA É UMA DELICIA

      
        Um belo dia eu estava de boa em minha casa e quando fui até a janela do meu quarto, que fica do segundo andar, vi que havia um caminhão de mudanças em frente e havia uma mulher linda ajudando o pessoal descarregar a mudança, mas nem de bola, pois era normal haver pessoas mudando ali, mas de repente aquela mulher me olhou com um sorriso lindo, mas sem dizer nada, mas só isso bastou para que ela chamasse a minha atenção, não pela a sua beleza que era estonteante, mas sim pelo seu jeito de ser e de tratar as pessoas em sua volta, ela me pareceu uma mulher decidida, pois ela estava ali junto com o pessoal, ajudando, percebi também que ela era muito educada e de bem com a vida. O tempo passou e eu continuei a minha rotina normal, as vezes eu e ela cruzávamos na rua ou perto da minha casa, mas só cumprimentávamos com um oi ou no máximo um sorriso de leve, até que um dia ela estava na garagem da sua casa e eu limpando a janela do meu quarto, então ela me cumprimentou e perguntou se eu podia ir até sua casa, pois ela precisava de um favor meu, rapidamente eu disse a ela que me aguardasse que já ia descer, então troquei de roupa e fui até a sua casa para ver o que ela precisava, ela se apresentou dizendo que seu nome era Joice, tinha 35 anos e entre muitas coisas ela me pediu o telefone do Disk gás, pois o dela havia acabado, eu a ajudei no que eu podia e voltei para minha casa, mas não conseguia tirar aquela mulher da minha cabeça por um minuto se quer. Um dia sem que eu esperasse recebi um telefonema um tanto quanto estranho, pois era da minha nova vizinha, que eu pouco havia conversado, ela então me disse que estava precisando muito conversar com alguém e pediu para que eu fosse até sua casa a noite, se eu pudesse lógico, então respondi que iria sim e marcamos para as 20 horas daquele mesmo dia e assim aconteceu, cheguei na sua casa toquei a campainha e logo a porta se abriu e surgiu na minha frente aquela mulher belíssima, com uma roupa discreta, mas sem tirar a sua sensualidade. Ela me cumprimentou com um beijo no rosto e pediu para mim sentar no sofá e foi até a cozinha, quando voltou ela trazia uma garrafa de vinho e duas taças, me serviu e sentou ao meu lado e começou a falar da sua vida. Ela começou me dizendo que acabava de sair de um casamento de 10 anos, mas que não teve filhos, pois ela quis investir na sua carreira profissional e que um filho poderia atrapalhar seus objetivos, ela me contou tudo sobre sua vida, seu casamento, seu trabalho e eu apenas a ouvia sem dizer nada, até que num dado momento ela me disse que há 5 anos começou sentir uma atração estranha por mulheres e que não sabia como agir, naquele momento fiquei sem ação, pois fiquei sem saber o que dizer, se eu ficasse quieta ou falasse sobre a minha opção sexual, mas tentei a aconselhar, da melhor maneira que achei que seria boa naquele momento, depois me despedi e fui pra casa, mas com uma vontade louca de voltar e agarrar aquela mulher e dizer tudo sobre mim e o que eu sentia naquele momento, mas me controlei, chegando em casa fui direto para o chuveiro tomar um banho frio, só que não resolveu nada, pois não tirava a Joyce da minha cabeça e meu tesão aumentava, então comecei a me masturbar pensando naquela linda mulher. Passaram-se os dias e nos tornamos muito amigas e unidas, conversamos quase o dia todo pelo Messenger ou no WhatsApp e quando chego do trabalho à noite já corro pra o abrir o meu notebook sorrindo para falar com ela, sabendo que ela vai estar lá, me esperando. Quando vejo que ela tá online, abro um sorriso de felicidade, conversamos até altas horas e o que eu adoro são as nossas conversas picantes e os áudios safados que trocamos. Um dia desses ela me disse que nós podíamos sair para beber alguma coisa e conversarmos melhor, eu então disse para ela que quando quisesse era só me dizer que marcaríamos par sairmos. Na sexta-feira passada ela me convidou para irmos num barzinho que tem aqui perto da nossa casa mesmo, eu rapidamente aceitei, assim que cheguei fui direto tomar um banho, me arrumei e desci ao seu encontro, chegamos no bar, que como sempre estava lotado, nos sentamos, pedimos uma cerveja e começamos a conversar animadamente. Nós conversamos e bebemos muito e a cada cerveja eu ficava mais excitada e imaginava chupando aquela boceta gostosa, eu olhava pra ela em frente de mim fazendo com que ela percebesse o que eu estava sentindo, até que ela levou seu dedo até sua boca e o chupou disfarçadamente com seu olhar fixo nos meus e aquilo inflamou mais ainda o meu tesão. 
   
       Eu já sabia o que ela estava querendo, então ela me chamou para ir ao banheiro, quando chegamos ao banheiro que por sorte estava vazio, ela sussurrou no meu ouvido dizendo que estava com muito tesão em mim e queria muito gozar comigo ali mesmo naquele banheiro, no momento fiquei sem saber o que fazer, mas ela tomou conta da situação e me empurrou para dentro de umas das cabines, trancou a porta, me beijou loucamente e entre os beijos ela dizia frases como “Desde quando te vi sempre queria te pegar bem gostoso” aquilo soava como música ao meus ouvidos, ainda mais saindo da boca daquela mulher deliciosa. Eu estava usando um vestidinho preto básico, meio que transparente e os biquinhos dos meus seios estavam quase que rasgando meu vestido de tão rígidos que estavam. Joyce então tirou meu vestido, começando a chupar os meus seios durinhos e a sua mão foi descendo me acariciando e se aproximada cada vez mais da minha boceta, fazendo eu gemer baixinho ao seu ouvido e falava para que ela não parasse, então ela chegou na minha buceta e começou a tocar o meu grelo de leve, nossa que tesão que me deu, eu dizia para que ela não parasse. Então eu sentei no vaso com as minhas pernas abertas, ela se ajoelhou e começou a me chupar bem devagar, como se estivesse degustando um bom prato, depois foi acelerando seu ritmo, fazendo eu gemer e a xingar, segurando seus cabelos com força pressionando mais sua cabeça na minha boceta, eu gozei como nunca havia gozado antes na vida, aquela língua me satisfez de uma maneira única e eu só pensava em retribuir aquelas caricias e o prazer que me proporcionava sem me importar com nada, mas quando foi a minha vez, notei que havia entrado alguém no banheiro e eu fiquei com medo de ouvirem nossos gemidos, então ela disse para irmos para sua casa, pois lá ficaríamos mais à vontade, saímos do banheiro, pagamos nossa conta e seguimos para a sua casa, assim que entramos na sala já começamos a nos acariciar, pois o tesão que havia estava cada vez mais forte em nós. 
 
      Rapidamente tirei sua roupa, a coloquei sentada no sofá e disse que era minha vez de faze-la gozar na minha boca e comecei a lamber ela inteira começando com um beijo demorado e mergulhei naqueles seios maravilhosos e durinhos, enquanto os chupava, eu a masturbava e seus gemidos iam ficando cada vez mais alto, eu já estava louca para chupar aquela buceta rosada e lisinha, então fui descendo beijando sua barriga perfeita, lambi a sua virilha de um lado a outro e cai de boca naquela gruta umedecida e dei o meu melhor a chupando e a degustando com muita vontade, enquanto metia minha língua na sua boceta, eu a olhava e ela com seus olhos fechados, sua boca entreaberta gemia de prazer, então com meus dois dedos sua boceta indo até seu cuzinho e ela enlouquecida sussurrava para que eu não parasse, continuasse a fode-la cada vez mais forte, até que seu corpo estremeceu dando sinal que seu orgasmo estava próximo e senti seu melzinho quente escorrendo pela minha boca, que delícia era o gosto da sua boceta, depois que ela gozou eu subi até sua boca e lhe dei um beijo frenético e apaixonado. Depois de uns 10 minutos de silencio, levantamos e fomos tomar um banho juntas, quando saímos do banheiro e voltávamos para a cama, ela estava atrás de mim, então ela me agarrou, passou suas mãos em minhas pernas, foi subindo até minha boceta que estava ainda toda molhadinha cheia de desejo e tesão, ela foi me massageando, me fazendo contorcer de prazer, então me jogou na cama, subiu em cima de mim apertando com força meus seios e disse que eu estava muito gostosa, eu me contorcia toda pedindo que ela não parasse e me fizesse gozar até eu pedir pra parar, ela nem esperou eu terminar e caiu de boca, passando a língua na minha boceta, depois segurou no meu quadril forçando minha boceta contra sua boca e chupava deliciosamente, eu gemia e tremia de tanto prazer, até que gozei várias vezes em sua boca, ela se deliciava com o meu gozo e veio compartilhar comigo me beijando, nossa aquilo para pra mim foi o ápice. Aí trançamos nossas pernas fazendo com que nossas bocetas se esfregassem uma na outra, então começamos fazer movimentos leves e de acordo que aumentávamos a velocidade fazia com que nossos corpos tremessem, e naquele esfregava, esfregava gozamos várias vezes, até que explodimos num orgasmo intenso juntas, deitei ao contraio dela e fizemos um 69 louco, fazendo com que uma chupasse o gozo uma da outra, fazendo termos outro orgasmo juntas, até que nos duas chegamos ao clímax, nossa ficamos muito exaustas e ficamos deitada por alguns minutos e fomos tomar outro banho. A partir daquele dia, Joyce e eu sempre que podemos e estivermos com tesão, uma liga para a outra e nos encontramos, as vezes na casa dela ou na minha e matamos a nossa vontade.
Espero que gostem de mais uma das minhas histórias.
Compartilhar:

30 de abril de 2019

EU E A TÉCNICA DE INFORMÁTICA

Bom hoje vou contar a minha história com Sandra, uma mulher de 42 anos muito bonita, charmosa e sensual, apesar da sua idade ela tinha um corpo escultural de dar inveja em qualquer “mortal” seja do sexo feminino ou masculino. Eu a conheci através de minha irmã Beth, elas trabalhavam na mesma empresa e eram muito amigas. Apesar de eu e Beth não sermos grandes amigas, eu a amo pois ela é a minha irmã caçula. Esses dias meu notebook travou, então resolvi eu mesma formata-lo, só que quando comecei formatar notei que havia algo errado pois estava demorando mais que o normal e como eu só sei formatar, e não sei nada de manutenção, fiquei sem saber o que fazer, mas pra minha sorte a Beth me ligou pedindo uma informação e aproveitei e expliquei a ela o que estava acontecendo, então ela me disse que na empresa que ela trabalha tinha uma mulher que que era fera em TI, “Tecnologia da Informação e que se eu quisesse ela me apresentaria e quem sabe poderia me ajudar. Eu disse a ela que ficaria muito agradecida se ela me fizesse esse favor, então desligamos o telefone e eu fui fazer o meu trabalho, a tarde quando eu menos esperava e já estava fechando a loja, meu telefone tocou e quando atendi, era a Sandra a tal amiga da minha irmã, que perguntou se ela poderia ir olhar o meu notebook para ela ver o que estava acontecendo, no mesmo momento disse a ela que a aguardaria na loja mesmo. Meia hora depois encostou um carro em frente a loja e desceu uma mulher linda e deslumbrante, se apresentou dizendo que seu nome era Sanda e que tinha ido olhar o meu notebook, trocamos beijinhos no rosto e entramos, ela então começou abrir o notebook, desmontou ele quase por completo e eu ali sentada vendo ela trabalhar e admirando a sua beleza. Depois de um tempo limpando os componentes ela o fechou, o ligou mas nada funcionou, então ela me disse que o problema estava no HD que precisaria ser trocado, com muita tristeza eu disse que estava bem, que eu compraria outro HD e ela se pudesse trocaria para mim, ela disse que seria um prazer trabalhar para uma mulher tão gentil e linda como eu, agradecida pelo elogio perguntei quanto era o seu trabalho daquele dia.

Ela com um sorriso me disse que o pagamento seria eu a acompanhar uma garrafa de vinho em um barzinho que tinha perto da loja, eu aceitei e seguimos para o tal bar. chegando pedimos uma garrafa de vinho e começamos a conversar, depois de uns 20 minutos de um papo bem animado ela me perguntou se eu estava namorando, achei um pouco estranho aquela pergunta, mas respondi num sorriso que não tinha nenhuma namorada, ela pediu outra garrafa de vinho e disse que ela havia se separado ha um ano e não queria mais saber de homens em sua vida. Eu sorri e perguntei em que ela estava pensando em fazer, ela então me respondeu que ha muito tempo sentia atração por mulheres mas que só havia ficado uma vez e amou aquela experiência. eu dei um sorriso um tanto quanto safado e disse que se ela quisesse confirme o que realmente queria, poderia ser a aquela noite mesmo, nossa eu não acreditei que em plena noite de uma sexta feira estaria cantando uma mulher num bar, para minha surpresa ela disse que poderíamos terminar aquele vinho e sua casa, então levantamos, pagamos a conta, pegamos duas garrafas de vinho e seguimos para a sua casa. chegando lá, assim que entramos na sala, eu a puxei junto a mim, a agarrei imprensando ela contra a parede, segurei  seus braços para cima e lhe dei um beijo esta louco e nossas línguas se enroscaram uma na outra, fui tirando sua roupa aos poucos, começando pela sua blusa, até deixa-la só de calcinha, fazendo mostrar os seus belos seios que eram lindos, grandes e apetitosos, seus biquinhos já estavam rígidos que só de olhar me dava vontade de cair de boca e sugá-los com toda a minha vontade, então comecei a beijar seu pescoço e fui descendo até seus seios, sugando-os, fazendo ela gemer ao meu ouvido pedindo para que eu não parece, fui descendo chupando sua barriga, mas quando aproximei da sua boceta eu subi e a beijei novamente a beijei, ficamos por um tempo nos beijando, até que ela já sem folego, me empurrou me jogando no sofá e começou a tirar minha roupa dizendo:- que aquilo era tudo que ela mais queria, eu dei um sorriso, a puxei contra mim e lhe dei outro beijo demorado, um beijo cheio de amor, então começou a sugar meus seios foi descendo até meu umbigo, passando sua língua de leve nele, depois foi descendo, começando a chupar as partes internas das minhas coxas, aquilo me deixava maluca, ela então sem parar de me beijar, tirou a minha calcinha, e sem esperar mais nada caiu de boca na minha boceta, me fazendo delirar de prazer.
Ela chupava minha boceta e mordiscava de leve meu clitóris, me sugando com toda vontade até que gozei deliciosamente, ai ela chupou e engoliu cada gotinha do meu néctar que escorria da minha boceta, aquele  foi um dos melhor orgasmo que já tive, então descansei um pouco me, a virei e deitei sobre ela, começando a beijar sua boca que ainda dava para sentir o gosto da minha boceta, desci com a minha boca e suguei seus seios  gostosos, fazendo ela se retorcer toda, fui descendo até chegar sua barriga e ela implorava para que a chupasse logo, mais eu queria judiar um pouco mais, então comecei a chupar de leve a sua boceta que já estava toda melada,  ela se contorcia e gemia alto, que aumentava mais o meu tesão e minha vontade de fazer ela gozar na minha boca, quando percebi que seu orgasmo estava por vir, parei de chupa-la e comecei de novo nos seus seios, ela gemia e gritava dizendo que não parasse, pois ela já estava quase explodindo de tanto tesão. Voltei a chupa-la e logo ela explodiu em múltiplos rogamos, então foi como ela pediu dessa vez a chupei até o fim e ela gozou  mais umas 3 vezes em seguida, a chupei sugando todo o mel que escorria da sua boceta, então subi até ela e nos beijamos deliciosamente, e fomos para a sua cama e dormimos a noite inteira agarradinhas.. Bom amores esse e mais uma história que aconteceu em minha vida, mas não parou por aí, depois volto pra contar mais dessa aventura.
Compartilhar:

7 de abril de 2019

COMEÇAMOS NO ÔNIBUS E TERMINAMOS NA CASA DE PRAIA


     
     Um belo dia resolvi entrar na internet para procurar alguém, más nem eu mesma sabia o que estava procurando ali, mas sabia que eu queria mulheres. Enfim, entrei em vários sites, e em um deles conheci muitas pessoas, mas ninguém me interessou o bastante para me fazer sair de casa e ir conhecer pessoalmente. Quando estava quase desistindo, eis que surge ela, uma mulher que pela foto do perfil já me encantou. Entrei no seu perfil dela e vi uma mulher 42 anos, recém separada e gostava de aventuras, que ao longo da nossa conversa, percebi que ela era muito parecida comigo, pois as aventuras que ela me contou me deixou fascinada, seu nome? Bruna Costa, senti que ela era muito fogosa, pois conseguiu me excitar em poucos minutos com aquele papo pra lá de quente, aquela voz excitante ao telefone, aquele papo erótico, mas sem ser vulgar me mostrava que ela estava doidinha me chupar e ser chupada. Nossa, ela me deixava completamente maluca, que não hora do meu trabalho eu não podia conversar muito com ela, pois com certeza ela iria me excitar com suas mensagens e eu iria ficar toda melada só em ler. Finalmente, depois de alguns dias e de muitas conversas deliciosas pela Internet e pelo celular, conseguimos marcar de nos conhecer pessoalmente. Aquela seria uma viagem mais que desejada por nós duas, então combinamos de passarmos juntas um final de semana, na sexta feira eu disse para minha mãe que eu iria visitar uma amiga que eu havia conhecido e ficaria o fim de semana for e que ela não se preocupasse comigo e fui para rodoviária e entrei no ônibus, seguindo até a cidade da Bruna, a gente havia combinado de ela me esperar não rodoviária e de lá seguiríamos juntas até o Guarujá, onde ela tem uma casa e ficaríamos sábado e domingo por lá. Bruna muito impaciente tanto que durante a minha viagem até a sua cidade, ela me ligou umas 5 vezes me perguntando onde eu estava e que horas chegaria e quando cheguei e nos encontramos, foi impossível disfarçar o enorme sorriso que estava estampado em nossos rostos, nossos olhares eram fixos e , intensos uma na outra, nos abraçamos longamente e demos nosso primeiro beijo, mas bem discreto, nosso aquilo foi delicioso e seria impossível que nossas bocas não se encontrassem ali mesmo e no meio do povão.
Conversamos um pouco, sentadas lado a lado numa lanchonete, suas pernas estavam tão próximas que senti roçando de leve as minhas, nossas mãos trêmulas, não resistiam e tocar em nossos cabelos, acariciando o rosto e logo um abraço discreto. Logo o nosso ônibus encostou e já fomos para o fundo onde eram as nossas poltronas, eu nem precisava que dizer que aquilo tinha sido planejado por Bruna. Já estavam anoitecendo quando o ônibus seguiu a viagem, eu percebi que não tinha mais ninguém sentado próximo a nós então pudemos nos acariciar sem nenhum constrangimento, suas mãos safadas percorriam meu corpo, escondido por cobertor que nos cobria. Ela foi falando em meu ouvido as mesmas coisas que estávamos acostumadas a falarmos em nossas ligações telefônicas, ela me chamava de sua puta e de sua cadela safada, que eu era o seu tesão intenso e muito mais e eu gemia no seu ouvido dizendo que estava toda molhada e Bruna se mostrando a mesma safada que conheci desceu até minha boceta levantou meu vestido e colocou sua mão por dentro da minha calcinha e começou a me masturbar, meu calor e meu tesão aumentava a cada toque dela me deixando completamente excitada e ofegante. Enquanto ela estava acariciava meu clitóris, me encarava com aquele seu olhar safado, guloso, querendo mais, eu me contorcia toda na poltrona querendo gritar mas sem poder, ela então meteu seus dedos bem devagarinho na minha boceta e eu rebolava enquanto ela penetrava, de repente ela me pergunta num sussurro se estava mesmo afim de fazer tudo que conversávamos, eu respondi que sim, e me levantei indo até o banheiro do ônibus, mas não tranquei a porta, não passou nem um minuto vi a porta abrir e Bruna entrou, já com o banheiro trancado conseguimos finalmente matar pelo menos um pouco do enorme desejo que nos consumia já algum tempo, eu estava louca para sentir aquela mulher maravilhosa e insaciável, nos agarramos em beijos ardentes e fui abrindo sua calça, e senti o a umidade da sua boceta em minha mão, fui acariciando se sua boceta, trançado minhas pernas nas delas e a fodi com toda minha vontade, fazendo com que ela gemesse deliciosamente pra mim.
Me deixando ainda com mais tesão, fui apertando todo seu corpo, puxando seu cabelo, a chamando de gostosa, enquanto ela tentava morder meus ombros e controlar seus gemidos. Penetrei meus dedos com uma vontade louca, ela rebolava em meus dedos se encaixando como queria, e eu ia aumentando o ritmo minha mão, arranquei sua calça, me abaixe e devorei aquela boceta quente, encharcada e pulsando de desejo, e ela rebolava freneticamente na minha língua, no meu rosto, eu mordiscava seu clitóris, enquanto enfiava meus dedos bem fundo nela, fazendo movimentos de entra e sai, ela agarrava meus cabelos e me puxava contra seu corpo e numa intensa explosão soltou um gemido abafado e teve um orgasmo delicioso, deixando com que eu sentisse seu melhor sabor em minha boca com um beijo ardente. Depois de mais outro beijo saboroso e demorado, ajeitávamos nossas roupas, lavamos nossos rostos, para disfarçar o calor, ela foi a primeira a sair do banheiro, tentando disfarçar a cara de safada, lógico que alguns passageiros acordados notaram o que fazíamos, mas nada disseram. Em seguida eu também saí de lá, com uma cara mais inocente do mundo, mas muito satisfeita e querendo chegar na casa onde iríamos ficar para me deliciar com aquela mulher novamente, mas da maneira que um mais curtia e sabia fazer. Depois de pouco mais de 30 minutos, finalmente chegamos e como ainda era madrugada, pegamos um táxi e seguimos para casa da Bruna, Chegando lá tomamos um delicioso banho o que deixou nossos corpos descansados, fresquinhos e perfumado, eu só pensava no que iria acontecer nos dias seguintes, Deixamos o quarto com a luz bem fraca, cheguei próximo a ela e meus lábios uniram aos dela em um beijo ardente, como foi delicioso sentir aquele corpo fresquinho junto ao meu, fui acariciando aquelas lindas pernas bem lisinhas, depois subi minhas mãos até seus deliciosos seios e os acariciei lentamente, envolvendo um e depois o outro, naquele momento senti meu corpo todo arder de desejos, me senti ficar completamente molhada e meu grelinho latejar, nossa como aquela mulher mexia comigo e em meio a esses pensamentos eu a ia beijando e acariciando todo seu corpo nu e sentindo meu corpo cada vez mais arder de desejos, mas eu queria muito mais quer caricias, queria ter aquela mulher inteirinha para mim e sentir seu néctar na minha boca. Voltei a percorrer lentamente suas pernas com minhas mãos macias, minhas mãos subiam e desciam, sentindo cada centímetro do seu corpo, eu a sentia se arrepiar a cada toque meu, minhas mãos passeavam pelos seu quadril e desciam lentamente até seus joelhos, voltando pela parte interna de suas coxas, fazendo ela estremecer de desejos, as vezes eu passava as mãos pelos seus seios e ela se deliciava, eu sentia seus biquinhos saltarem, sua respiração mais e mais ficava acelerada. Então me levantei, fui até minha bolsa peguei meus dois brinquedos que como prometido eu havia levado, sendo um strapon com um pênis de borracha medindo uns 23 centímetros e um consolo também de borracha bem menor e mais fino. Vesti o Strapon e dei o outro para ela, que deu eu sorriso bem safado, me ajoelhei na sua frente e pedi pra ela chupar aquele pênis e o deixar bem lambuzado, eu foi o que ela fez com muita maestria, depois eu me deitei de costas e ela subiu em cima de mim fazendo um 69 delicioso, enquanto eu chupava sua boceta, ela chupa o pênis e fodia minha boceta intercalando no meu cu com o consolo menor, e ficamos assim por uns dez minutos, ai ela montou em cima de mim encaixando sua boceta no pênis de silicone e o engoliu todo, e com o brinquedo menos me fodia feito uma maluca, ela cavalgava cada vez mais rápido e gritava para que eu a fodesse bem gostoso, eu já não aguentava mais de tanto que havia gozado, até que ela deu um suspiro e juntas explodimos num delicioso orgasmo, ela caiu sobre mim, me deu um beijo demorado e ficamos por um tempo em silencio, apenas nos acariciando.
Depois nos levantamos e fomos tomar um banho gostoso, quando terminamos fomos pra cama e dormimos agarradinha até 10 horas da manhã do sábado. Levantamos comemos alguma coisa e fomos para a praia, mas o nosso final de semana não para por aqui, aguardem.




Compartilhar:

22 de fevereiro de 2019

Querer te

Quando te vejo a vontade é de ñ pedir licença, e simplesmente rasgar tua roupa e fazer o que à muito tempo desejo. 
Quero beijar....Morder com vontade.... com prazer....
Sem pudor.... Quero sentir teus desejos. Quero sentir teu sabor.
Quero seu gozo em minha boca. 
Quero vc rebolando em minha língua, com gemidos.... Com palavrões....
O seu.... o meu....o nosso gozo....Nosso cheiro de sexo misturados....incendeiam
Nossos desejos devassos....proibidos 
Quero chupar seus seios com força, morder seu corpo, decifrar com a língua seus arrepios.
Quero devorar te por inteira. Quero te totalmente nua de corpo e alma. 
Vem....Quero vc....Vem....❤💞

(adaptado)
#badgirl
Posso dominar e me deixar ser dominada....
       Posso te dar carinhos sem perder minha essência de safada.
 Posso beijar sua barriga e te fazer enlouquecer ou posso simplesmente possuir tudo em vc! 
          Posso te dar uns tapas e puxar seus cabelos te fazendo pedir arrego. 
         Posso te morder e depois mostrar o prazeroso Beijo Grego....Antes de te possuir de quatro.... 
   Posso ir devagar....Ou do jeito que vc quiser....❤💞


(adaptado )
Cafaxonado.



By JaneCanhete
Compartilhar:

15 de fevereiro de 2019

Paixão

Vc está totalmente nua em cima da cama. Meu corpo denúncia o quanto te quero.
        Meus olhos se perdem na sua bunda....Tão apetitosa.
Meus olhos Te devoram, te desejam.
Vc se vira. E sorri. Por ver meu olhar bobo. Perdido em tanta beleza.
Com um sorriso maroto. Abre um pouco as pernas, e desfruto da mais linda imagem.
Puxou vc para mim. Sinto teu corpo quente, arrepiado. Cheio de tesão.
 Beijo te com força, com desejo. Escuto teus gemidos, baixos, sedutores.  Domino vc....
Está entregue, submissa ao meu querer. Te puxo pelos cabelos....Olho dentro dos teus olhos.
Beijo-te loucamente, passando os dedos suavemente pelo teu sexo.
Sinto o quanto vc me quer, me deseja, estamos em êxtase. O prazer chega devorando-nos, vc envolve-me em teus braços. E diz.....
- Amo vc minha querida....❤💞

Entrelaçar meu corpo no seu, é minha melhor leitura.
Acordar de manhã, iniciar o dia fazendo amor com você, é  meu vício... Eterna fissura. Cada canto desta casa, já conhece meus gemidos, sabe decifrar os seus suspiros...
Nossos movimentos depravados, seu requebrar.
Nosso gozo infinito.
Seu olhar me faz poeta, minha inspiração é  observar seus contornos, totalmente sem roupa...
Minha "antologia"   é você...
Literatura de prazer...
Poesia escrita.
Declamo com minha língua, na sua pele, sinto no ar, o cheiro que me excita ....
Gosto acordar de manhã, pra poder te sentir.
Bem intensa, dentro de mim.
Sentir sua paixão, nos versos da minha úmida emoção.
Nossos olhos fechados, lendo  cada página deste amar.
Cada linha deste bom dia.
Palavras, no vocabulário insano, que subscreve nossos beijos....
Ter vc aqui, sempre será recitado desejo....❤💞

https://www.facebook.com/100027059266686/posts/255318445380129/






By JaneCanhete
Compartilhar:

Translate

Redes Sociais

Icon Icon instagram

Contador da visistas



Anuciantes

Seguidores

Amigos do Face

Marcadores

Postagem em destaque

Super Séries